comunicador, consultor e ativista
GUIABOLSO, rebranding

GUIABOLSO, rebranding

GUIABOLSO, rebranding

GUIABOLSO, rebranding

A partir de uma MESA (empresa que reúne times multidisciplinares em torno de uma mesa para resolver um desafio estratégico) para o rebranding do Guiabolso, co-criei o protótipo do novo BRANDBOOK da marca, com propósito, valores, papel de marca, posicionamento e personalidade. Também escrevi uma carta aberta do Guiabolso a toda a base de usuários, comunicando o rebranding e tangibilizando o novo momento da marca. (Set/2018 - Mar/2019)

Posteriormente, em parceria com a agência CUBOCC, tive a oportunidade de detalhar os pilares de MENSAGEM e TOM DE VOZ de marca no Brandbook, além de roteirizar o filme institucional.

Para alinhar as novas diretrizes de Mensagem e Tom de Voz, desenvolvi uma matriz de TOV e um workshop teórico e prático para toda a empresa.

LEIA A CARTA ABERTA:

POR QUE RESOLVEMOS MUDAR?

A vida adulta chega na forma de um boleto. A partir daí, a gente se vê num cabo de guerra entre duas ideias impossíveis de sucesso financeiro, onde não estamos de um lado nem do outro – somos a corda. De um lado, o sucesso pela ostentação:
quanto custa o outfit? Do outro, o sucesso pela “suposta” privação: pra render, basta querer. Especialistas trazem fórmulas milagrosas para ficar milionário economizando no Uber e no cafezinho. Ser rico é a nova dieta low carb da berinjela com chia.

Sabendo da nossa frustração, entram em cena eles: os bancos. A turma do boletinho, uma galerinha do barulho aprontando altas confusões na sua conta. “Vou te ajudar”, eles dizem. “Vem comigo que eu te acolho”, prometem. Mas é só passar a lua de mel que a relação começa a ficar meio abusiva. Eles não nos ouvem, explicam pra confundir, confundem pra explicar e nos convencem que o problema é nosso. E pior: que não conseguimos fazer nada sem eles. O resultado: nenhum e nenhuma de nós tem clareza de como circula nosso dinheiro.

Sim, eu sei. Não está sendo fácil. Medo, insegurança, desconfiança – e, muitas vezes, descontrole: todos esses sentimentos negativos geram uma dificuldade enorme de lidar com grana, e mesmo falar sobre. Surge uma contradição: grana é coisa íntima, só que a gente não tem a muita intimidade com ela. Mas você não está sozinho/a. E a culpa não é sua.

Sou o Guiabolso: existo há quatro anos para te ajudar a se entender com a própria grana. O objetivo é que você faça escolhas dinheirísticas mais espertas – de um jeito mais fácil, leve, acolhedor e radicalmente transparente. Já ajudei mais de 4 milhões de pessoas no Brasil. É uma multidão.

Porque não é apenas sobre ajudar você, individualmente. É sobre fortalecer uma comunidade inteira que, junta, consegue jogar melhor esse jogo, forçando o sistema financeiro a melhorar suas práticas e parar de tirar a gente de trouxa. Pq né: já deu. Mais do que te oferecer um jeito de organizar tua grana, que faça sentido pra sua realidade, quero te ajudar a guiar sua vida financeira. Sem taxa escondida, sem protocolo, sem enganação e sem culpa.

A gente faz a conta que ninguém te conta.

Guiabolso